Como é viver dentro de uma casa container

12 de março, 2018

A ideia de se viver dentro de uma casa container não é tão recente assim, já sendo praticada desde o início do século, na Inglaterra. Isso se deu pelo fato do receio de escassez em matéria-prima num futuro próximo, então as caixas de aço abandonadas (que possuem uma longa durabilidade) passaram a ser utilizadas por pessoas que se preocupavam com a reutilização de materiais.

Daí para frente alguns arquitetos observaram o potencial da estrutura e começaram a desenhar projetos mais ousados e completos de moradia. A ideia foi tão bem aceita que começou a se espalhar pelo mundo, onde outras pessoas passaram a abraçar esse tipo de projeto, usando a criatividade para dar novas formas e finalidades às caixas.

No Brasil, o uso do container como casa ainda é uma história mais recente, tendo início na última década, surgindo como uma forma mais econômica e sustentável de se morar. Mas ainda há conveniências maiores do que essas a serem levadas em consideração, como a redução no tempo da obra, por exemplo.

 

BÔNUS AO INVÉS DE ÔNUS

Uma vantagem de se ter o container como moradia é o fato de não precisar, necessariamente, ter um terreno seu, ao passo que o mesmo pode ser transportado no caso de você fazer somente a locação do espaço. Desta forma, a mobilidade é muito bem vinda para as possíveis mudanças de endereço, uma vez que é vista como construção temporária, fazendo com que o processo possa ser agilizado na prefeitura.

O tempo de construção é um grande fator a favor do uso do container, obviamente tendo que se levar em consideração a estrutura e tamanho dos projetos. Uma obra de alvenaria pode levar até 40% a mais de tempo para ficar pronta. O container pode ser entregue pré-montado, tendo algumas poucas instalações a serem realizadas no local ou até mesmo chegar pronto, somente para realização de acabamento.

 

CUSTO MAIS EM CONTA

O grande chamariz para uma obra deste tipo é o custo para execução, que costuma ser, em média, de 20% a 40% mais barato, se comparado a uma obra de alvenaria que possua a mesma estrutura e tipo de acabamento.
A praticidade da obra também é um fator a se levar em consideração, pois não há necessidade de se fazer a fundação, por exemplo. Outros materiais também possuem um consumo bem menor, como cimento e madeira (dependendo do tipo do projeto), o que gera menos resíduo. Sem contar a necessidade do uso de água na obra. A sustentabilidade é o ponto forte.

 

DURABILIDADE E CONFORTO

A durabilidade do projeto pode ser longa, contando que o container receba as devidas manutenções periodicamente. A parte externa já vem com um grande reforço, já que os fabricantes originalmente aplicam tinta náutica ou automotiva nas peças, para protegê-las.
O conforto é um ponto que merece atenção, pois precisa ser bem pensado como toda e qualquer outra estrutura habitacional. Apesar de poder contar com um projeto personalizado, como revestimentos termoacústicos, é necessário se pensar num bom sistema de refrigeração da casa, a fim de manter o ambiente com uma temperatura agradável.
Este é somente um dos casos que demandam atenção do usuário, mas isso é inerente a todo e qualquer projeto arquitetônico.
Existem diferentes modelos de containers, que variam em tamanho e valor. Por sua característica modular e com grande potencial de customização, o container se torna, cada vez mais, uma opção mais rentável e adaptável para os diferentes perfis de clientes.

Conheça os mitos e verdades sobre viver em uma casa container. 

Nenhum Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agende uma consultoria para seu projeto Entre em Contato